Aniversário JUS21 - 35% de desconto em todo o site

Aniversário JUS21 - 35% de desconto em todo o site

publicado em 17/07/2019 às 14h08
FGV cometeu PLÁGIO: Anulações de ofício foram advertência!

Como sabemos, na última segunda a OAB surpreendeu e anulou duas questões de ofício da prova objetiva. 

Mas, pela primeira vez, a Ordem faz isso não por razões técnicas mas sim legais. 

Por quê?

As duas anulações de ofício anteriores, ocorridas no IX e no XXI Exames, aconteceram por impropriedades na formulação das questões.  

Mas este não foi o caso agora.

Não tenho como saber o percentual de aprovados sem as anulações agora no XXIX Exame, mas certamente seria maior do que em edições bem recentes, como o XXV, por exemplo.

XXIX Exame de Ordem: 32,96% de aprovação na 1ª fase

Aliás, desde o XXIII que a OAB perdeu o medo de reprovar intensamente na 1ª fase.

As anulações da última segunda, com quase toda a certeza, foram realizadas pelo erro cometido pela FGV, intolerável até mesmo para a OAB.

Primeiro a questão de Internacional, descaradamente copiada de um concurso da Petrobrás.

Plágio mesmo!

Para que a FGV se temos a Cesgranrio?

Prova da Ordem tem questão repetida de concurso público

Essa questão era simplesmente insustentável, especialmente dentro de um Exame nacional, aliado ao fato de que plágio é crime.

Depois, a questão de ambiental, manifestamente errada por possuir duas alternativas inequivocamente corretas.

XXIX Exame de Ordem: Recurso Direito Ambiental

Tão errada que eu fiz esse recurso na madrugada do domingo da prova para a segunda. Não tinha como não anular.

Agora pensem um pouco: Que espécie de filtro a FGV usa para verificar a qualidade de suas questões?

Não tem revisão?

Não tem pesquisa para verificar se estão reciclando questões antigas, da própria FGV ou mesmo de terceiros?

Uma questão copiada de concurso, de outra organizadora, dentro do Exame, é uma verdadeira vergonha!

Não tenho dúvidas: a OAB anulou as questões por vergonha! Por ser verdadeiramente constrangedor.

A qualidade da prova NUNCA foi boa. A qualidade das correções da 2ª fase nunca passou do razoável.

Por que a FGV não investe mais na elaboração da prova, considerando o alto valor da taxa de inscrição?

Seguramente NÃO é por falta de dinheiro. Todas as desculpas podem ser dadas, menos essa.

Recentemente tivemos o episódio da fraude no Exame de Ordem, onde o sistema da FGV foi invadido:

Fraude no Exame: Hackers invadiam sistema da FGV e adulteravam resultados

Isso é grave! Cadê a segurança da prova?

Mais importante ainda: a segurança da prova foi melhorada após este episódio?

Ninguém sabe. A própria FGV não se manifesta.

Deixo a pergunta: O Exame de Ordem tem como melhorar com a FGV cuidando dele?

As questões precisam, urgentemente, de mais qualidade. Espero que a FGV se conscientize disso, porque a tolerância para com ela parece ter acabado.

Reconhecer que erra, e reparar os erros, seria um interessante passo em direção a uma prova com a qualidade que queremos que o Exame tenha.

Vamos continuar acompanhando.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM