Curso para a reta final de preparação do XXXI Exame de Ordem

Vamos estudar forte para a prova do XXXI Exame de Ordem!

publicado em 31/01/2018 às 07h02
Os tecnólogos jurídicos vão dominar o mundo!

Em dezembro passado o Governo jogou a pá de cal sobre a questão do tecnólogo jurídico ao publicar no Diário Oficial da União o Decreto nº 9.235/2017, que autorizou a abertura de cursos técnicos em todas as graduações:

cursos de Técnico e Tecnólogo

Foi a senha para começar a surgir muitos, mas muitos cursos de tecnólogos jurídicos Brasil afora.

Começam a pipocar cursos de Tecnólogos Jurídicos pelo país

Eu estava analisando um desses cursos, o da UNINTER, e fiquei impressionado com seu custo: R$ 5.952,00 por todo o curso!

São 24 parcelas de R$ 248,00 em apenas 2 anos de estudo.

É muito, mas MUITO barato!

E isso sem considerar que praticamente todos os cursos de tecnólogos hoje no mercado são oferecidos na modalidade online.

E essa é exatamente a lógica deste tipo de curso: ser uma graduação barata para ajudar as instituições a fazer caixa.

Como já escrevi aqui algumas vezes, não existe mercado de trabalho para os tecnólogos. Os jovens advogados já ocupam a faixa salarial que corresponderia ao nicho passível de ser ocupado pelos tecnólogos. E isso com a vantagem de poderem ser contratados como advogados associados, o que elide uma série de obrigações trabalhistas.

O tecnólogo não tem a menor condição de competir no mercado.

Mas, como é um curso muito barato, com processo seletivo virtualmente inexistente, dando a possibilidade de se ostentr um diplona de nível superior, a demanda será inevitável.

É meio inevitável imaginar que um tecnólogo jurídico ao fim, sem espaço no mercado, queira prestar consultoria e assessoria jurídica. Enquanto forem poucos isso não irá incomodar, mas quando o volume de formandos ganhar corpo, torna-se-á um problema.

As atuais mantenedoras, com a influência que detém, vão atuar para justificar o investimento feio no curso e a manutenção da oferta das aulas no futuro. O risco de atuarem na esfera política para quebrar uma prerrogativa que hoje é só dos advogados passa a ser considerável.

Parem para pensar: o que impede que um projeto de lei estenda a assessoria e consultoria jurídica aos tecnólogos?

Nada impede.

O que impede que força política gerada por um imenso número de tecnólogos não ataque o próprio Exame de Ordem?

O problema dos tecnólogos é a possível e futura quantidade deles.

Com um curso tão barato assim e de fácil ingresso, a tendência é que a quantidade deles cresça de forma quase que incontrolável.

Eles vão, figurativamente, dominar o mundo. Mas, na prática, e no mundo real, vão gerar uma imensa pressão no mercado de trabalho. O único espaço que terão para crescer é adentrando na faixa exclusiva hoje destinada aos advogados.

Neste momento isto é uma hipótese remota. Mas em 10 anos, ou um pouco menos, deixará de ser.

Não duvidem da capacidade de absorver pressões e populismos do Congresso brasileiro.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM