publicado em 28/10/2019 às 10h36
O que a OAB está esperando para romper o contrato com a FGV?

Em quatro oportunidades distintas nos últimos 9 anos escrevi pleiteando pela saída da FGV por conta das INÚMERAS falhas dela no Exame de Ordem.

Esta é a quinta!

E eu não só sou testemunha de TUDO que já aconteceu como também me lembro de TODOS os problemas acontecidos no Exame de Ordem desde ANTES da unificação, desde antes do próprio CESPE.

Eu levaria uns três dias pesquisando os quase doze anos de textos do Blog Exame de Ordem para registrar tudo aqui.

E afirmo de forma categórica, convicta e segura: em apenas uma edição, nesse tempo todo, não tivemos problemas em uma prova.

REPITO: O Exame de Ordem, com a FGV, só não teve problema em uma única edição.

Em todas as provas temos problemas com questões objetivas falhas.

Em todas as provas temos MILHARES de candidatos reclamando das correções de suas peças e questões de 2ª fase.

Em todas as provas temos problemas com peças práticas mal construídas.

Esses são os problemas de sempre. São problemas eternos!

Até hoje acho uma OUSADIA da OAB não ter anulado questões em 13 edições, quando em todas as provas temos recursos verdadeiramente pertinentes. Quando o assunto é recurso, a impressão que temos é que a verdade tem um dono absoluto e inquestionável, e o dono se chama OAB, protegendo (para variar) o trabalho falho da FGV.

Todos estão errados, menos a OAB, que referenda questões problemáticas de forma às vezes inacreditável!

Vejam que curioso: A FGV permite que em duas edições seguidas questões PLAGIADAS seja utilizadas, ambas oriundas da mesma prova e da mesma disciplina, e querem, de verdade, que acreditemos que há um cuidado com o material produzido pela Fundação?

Essa desculpa se um dia foi usada, agora não vale de nada!

Não há zelo na elaboração das provas. Não há revisão. Não há controle.

Duas questões seguidas com plágio é uma demonstração cabal de que há algo MUITO ERRADO na formulação das provas do Exame de Ordem.

E quem é o grande cego que nunca vê problema em nada? Sim, é a Ordem dos Advogados do Brasil. A Ordem é compassiva com a FGV e passa a mão na cabeça da Fundação o tempo inteiro.

E passa porque quer!

Tanto passa que precisou tomar um sacode meu (referendado pelos examinandos nas redes sociais) para determinar a anulação e a apuração do plágio ocorrido na última prova. Fiz o recurso do plágio na terça-feira e só na sexta última a questão foi anulada, com o "despertar" da OAB para o problema.

A OAB é culpada pelas falhas no Exame de Ordem porque o Exame de Ordem é DELA

A culpa desse eterno stress com o Exame de Ordem é da OAB porque a OAB fecha os olhos para as constantes e ininterruptas falhas da FGV.

Nesse tempo todo esses problemas não foram resolvidos.

A OAB é culpada do Exame se tornar polêmico, mal-executado e controverso.

O que é uma temeridade da própria Ordem, sabedora que é da quantidade de inimigos da prova e da própria Ordem.

Um dia a coisa vai se tornar tão insustentável que a casa vai cair. Aí, meus amigos, o preço dessa inexplicável infinita paciência com a FGV vai sair CARÍSSIMO para toda a advocacia.

A OAB tem de sair dessa bolha de perfeição onde se colocou quando o assunto é Exame de Ordem e trocar de banca. 

Está falando acontecer o que mais para essa decisão ser tomada?

Será que um terceiro plágio consecutivo será necessário para vocês perceberem o óbvio?

Acorda, OAB! Acorda!

P.S. - Perguntar não ofende: cadê as explicações sobre o plágio? Como anda a investigação? DUVIDO que vocês não tenham nada a dizer sobre isto. Eu, os candidatos e todo mundo queremos saber o que aconteceu e quem são os responsáveis.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM