publicado em 03/10/2019 às 08h00
Renan pede à OAB que expulse Janot

Depois de chamar Rodrigo Janot de “jagunço” e “psicopata”, Renan Calheiros agora pede à OAB que expulse o ex-PGR e o impeça de atuar como advogado, diz a Folha de São Paulo.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que a confissão de Janot causa asco e que desonra à atividade profissional dos advogados de maneira acachapante.

Ele pediu ao Tribunal de Ética e Disciplina do Conselho da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) a exclusão e o cancelamento da inscrição do ex-procurador-geral da República.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "no requerimento, Calheiros diz que a confissão de Janot de ter planejado o assassinato do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) "não causa apenas perplexidade: causa asco". "Os fatos", de acordo com o senador, "demonstram desonra à atividade profissional dos advogados de maneira acachapante".

A matéria ainda informa que "Renan Calheiros encerra o requerimento afirmando que "no caso de não acolhimento do pleito", "requer-se" que o órgão "aplique as sanções que entender cabíveis".

Por mais que Janot tenha errado, entendo que ele não perdeu sua idoneidade moral.

Idoneidade moral é o conjunto de qualidades que recomendam o indivíduo à consideração pública, com atributos como honra, respeitabilidade, seriedade, dignidade e bons costumes. A idoneidade significa a qualidade de boa reputação, do bom conceito que se tem de uma pessoa.

Ter projetado mentalmente a morte de alguém e confessado isso, por mais grave que seja, não é nenhum crime, como também, fazendo parte do campo das ideias, não configura in totum a perda da idoneidade.

O pleito do Senador Calheiros não tem como prosperar.



Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM