Simulado OAB - Questões inéditas e inovações legislativas do período da pandemia

Preparem-se com quem entende!

publicado em 16/08/2019 às 12h23
OAB pede a suspensão da abertura de cursos de Direito por cinco anos

A OAB pediu ao MEC, na última quarta-feira, a suspensão da abertura de novos cursos de Direito.

Trata-se do segundo pedido ainda neste ano:

29/01/2019 - OAB requer ao MEC a suspensão de novos cursos jurídicos por 5 anos

A Ordem tenta, mas não tem obtido muito sucesso, infelizmente. A força das mantenedoras do ensino superior é imensa.

Há também o problema da OAB tentar sozinha controlar a abertura de novos cursos. nenhum órgão do Ministério Público ou da Magistratura demonstra o menor interesse em controlar um mercado completamente pulverizado e criado sem qualquer tipo de critério.

Confiram a matéria do site da OAB Nacional:

OAB pede a suspensão da abertura de cursos de Direito por cinco anos

O secretário-geral da OAB, José Alberto Simonetti, e o diretor tesoureiro da OAB, José Augusto Araújo de Noronha, se reuniram com o ministro da educação, Abraham Weintraub, para solicitar a suspensão da autorização para abertura de novas graduações em Direito, pelo prazo de cinco anos, até que se verifique a qualidade dos cursos já existentes.

O encontro foi na quarta-feira (14), no Ministério da Educação, e teve a participação do assessor especial do ministro da educação, Victor Safatis Metta, e dos deputados federais, Felipe Francischini (PSL-PR) e Caroline de Toni (PSL- SC).

Brasil atinge a marca de 1670 faculdades de Direito

'É um estelionato com os alunos', diz vice da OAB sobre novos cursos de Direito

OAB anuncia fóruns nacionais para discutir cursos de Direito

“A função da OAB é colaborar para o aperfeiçoamento e a promoção da qualidade do ensino jurídico no país. Externamos nossa preocupação com o elevado número de cursos autorizados nos últimos anos e com a precariedade de determinadas instituições que oferecem ensino jurídico. Nossa solicitação é para que tenhamos um prazo para avaliar os cursos já criados”, afirmou Simonetti. 

Para José Augusto Araújo de Noronha, “o Brasil não precisa de mais nenhum curso jurídico nos próximos 30 anos. O que há necessidade é uma maior fiscalização para que os cursos, que não alcançaram os índices de qualidade apresentados para a abertura das vagas, sejam fechados.

A situação é grave, na medida em que esses cursos lançam milhares de bacharéis no mercado, que não tem condições de serem aprovados no Exame de Ordem e, portanto, não podem exercer a advocacia”. 

De acordo com o documento entregue pela OAB ao Ministério da Educação, “no ano de 2019, foram autorizados 121 cursos de Direito com 14.891 vagas anuais, totalizando atualmente 1.684 cursos jurídicos em funcionamento no Brasil, em sentido contrário a opinião emitida por esta Instituição.

Ressaltamos que no período de 2005 a 2011 foram criados 324 cursos de Direito ao passo que no período de 2011 a 2019 (atual) foram criados 472 cursos, o que ratifica a ausência de critérios adequados à criação dos cursos”.

Fonte: OAB



FIQUE POR DENTRO
RECOMENDAÇÕES DO BLOG

Cursos, Treinamentos & Produtos

11 ANOS DO
BLOG EXAME DE ORDEM