publicado em 12/06/2018 às 11h09
Faltam 17 dias para o resultado da 2ª fase: o que esperar?

As provas da 2ª fase, aplicadas no último domingo, não seguiram a lógica usada nas últimas edições do Exame: foram mais difíceis, em que pese um percentual menor de aprovação na prova objetiva.

Ou seja, aquela lógica de que uma prova ruim em uma primeira fase é sucedida por uma segunda fase palatável, ao menos nesta edição, não subsistiu. 

Os candidatos sentiram desta vez o peso das questões, mais puxadas que o habitual e que impactaram forte na percepção de dificuldade do Exame.

E aqui uma constatação: a FGV se aproveitou que o foco dos candidatos estava direcionado para as peças, e pegou mais pesado nas questões.

Isso, inegavelmente, vai pesar no resultado.

Ainda tivemos o problema na prova de Administrativo, em que acredito no cabimento do Mandado de Segurança em função da redação do enunciado.

XXV Exame de Ordem: O MS também é resposta possível em Administrativo

Entretanto, até o presente momento, não senti por parte da Ordem o interesse em rever o posicionamento do padrão de resposta.

É uma lástima que a banca use artifícios de redação para tentar pegar os candidatos fazendo jogo de palavras, o que já rendeu muitas críticas no passado e vai render mais uma hoje.

Pois bem! Estamos a 17 dias da prova. Agora entramos no período crítico da correção das peças, que já tiveram início, por sinal.

Cada corretor (que tem formação jurídica) corrige um ou mais lotes, sendo que cada lote tem 50 provas.

No dia 29 saberemos a verdade das correções.

Agora, neste exato momento, NINGUÉM está aprovado, mesmo que o padrão esteja alimentado doces esperanças em alguns. É preciso aguardar!

Os recursos dos candidatos poderão ser apresentados só após a divulgação do resultado preliminar, e eles dependerão dos espelhos (não temos ainda a distribuição das notas por item) como também cada caso deve ser visto de forma particular, afinal, cada recurso demanda uma abordagem específica.

Preparem seus corações para esta longa jornada!