publicado em 03/01/2018 às 07h16
Estudante de Direito ganha R$ 900 por dia vendendo sacolé de vodca na praia

O estudante de Direito Gabriel Velloso, do sexto semestre da faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, decidiu trocar o estágio em um escritório de advocacia pelo sol escaldante da orla de Salvador para vender sacolé de vodka aos banhistas.

Isso começou a acontecer no carnaval de 2016. Na época ele estava com 22 anos, quando resolveu se espremer entre foliões e banhistas para vender seu sacolé, das 13h, com o sol a pino, até às 3h da manhã. E isso tudo para voltar para casa em um ônibus lotado. Tudo isso para vender o seu "Gelaroska", o "geladinho de vodka".

A ideia de misturar o sacolé com álcool surgiu por acaso. Gabriel não havia conseguido nenhum trabalho de ação promocional naquele ano, como era de costume, e decidiu ganhar dinheiro por conta própria, empreendendo. Ele investiu R$ 2 mil na venda do sacolé, mas a primeira tentativa não deu certo.

Determinado, após o carnaval ele decidiu testar receitas novas na cozinha de casa, misturando ingredientes até chegar a um produto que julgou satisfatório. Como não podia esperar até fevereiro de 2017, aproveitou o longo verão baiano e apostou nas praias de Salvador.

Deu tudo tão certo que hoje, em apenas um dia, ele fatura mais de R$ 900. Com o dinheiro extra ele comprou maquinário, investiu em promoters, criou uma marca própria e uma embalagem diferente. Enquanto os geladinhos tradicionais você pega da mão do vendedor e já coloca na boca, no dele há dois saquinhos: o que passa de mão em mão e serve como protetor e o que você vai morder.

Com seu faturamento de apenas um dia, ele consegue pagar a anuidade da OAB. Com mais dois dias, ele paga a inscrição na OAB, um bom curso preparatório (tanto a 1ª como a 2ª fases), além dos livros para o Exame de Ordem.

Gabriel estuda à noite na Universidade Federal da Bahia. Fará o 6º semestre neste ano. Ele trabalha com o gelaroska das 10h30 às 17h, quando então vai para a faculdade estudar.

Para este verão ele inovou, e lançou o gelachamp, à base de espumante (com morango, chocolate e coco) e servido numa taça personalizada, e o gelasotero, sem álcool (à base de água ou leite, no caso do sabor de coco).

Com informações do Correio da Bahia.