publicado em 19/10/2016 às 15h35
Eis que o inimigo declarado do Exame de Ordem é preso!

Começou em agosto de 2011 a luta contra o Exame de Ordem. Luta por ressentimetno, pois a OAB havia articulado para retirá-lo da presidência da comissão que iria rediscutir o Novo CPC.

Indignado, Cunha metralhou a OAB pelo Twitter, questionando, exatamento, o "absurdo" Exame de Ordem. Foi a senah apra que baicharéis em Direito o elegessem como parceiro.

Contente com a repercussão de sua postagem, ele efetivamente comprou a briga.

Daí em dia a Ordem, em várias oportunidades, se viu em apuros, pois Cunha de fato lutou para acabar com a prova da OAB. Foram 4 anos de guerra.

Ao assumir a prediência da Câmara dos Deputados, passou a impressão de que iria finalmente impor sua força e vencer a OAB. Curiosamente, não articulou mais para acabar com a prova, ocupado que ficou com outros temas.

Veio o impeachment, que consumiu todo o seu tempo e, por fim, sua cassação como deputado.

Hoje, depois de conquistar adversários em muitos segmentos da sociedade, Cunha foi preso pela Polícia Federal em Brasília. Aliás, neste exato momento, está voando para Curitiba, onde ficará encarcerado.

Sérgio Moro determina a prisão preventiva de Eduardo Cunha

Seu nome colou em sua luta, e o fim do Exame de Ordem, pela via política, tornou-se ainda mais díficil. Afinal, era ele, Cunha, que queria acabar com a prova.

Com que objetivos?

Por que o Exame era "corrupto", tal como ele não se envergonhava em dizer? Ou seria para atender interesses não muito republicanos?

A queda de Cunha leva essa briga política com ele. Afinal, as acusações que pesam contra ele não são pequenas:

- Acusado de ter recebido 5 milhões de reais para viabilizar o contrato de navios-sonda pela Petrobras;

- Acusado de ter contas secretas na Suíça;

- Acusado de ter recebido propina do consórcio ligado ao Porto Maravilha para viabilizar recursos do FGTS;

- Acusado de mandar pressionar donos do grupo Schahin para favorecer o doleiro Lúcio Funaro;

- Acusado de alterar a legislação energética para beneficiar Lúcio Funaro e a si mesmo;

- Acusado de interferir nas investigações contra ele no Conselho de Ética;

- Acusado de atrapalhar as investigações da Lava Jato.

Resta a ele contar com os serviços de uma advogado, devidamente aprovado no Exame de Ordem, para fazer sua defesa. Afinal, até que provem o contrário, Eduardo Cunha é inocente.

Mas, como inimigo da OAB, sua história terminou. Assim como também a sua vida como homem público.