teste
Como se Preparar para a Prova Destaque

Você faz o necessário para ser aprovado no Exame de Ordem?

necessário para ser aprovado no exame de ordem

O que é verdadeiramente necessário para ser aprovado no Exame de Ordem? A pergunta possibilita uma série bem grande de respostas, e respostas para todos os gostos.

Mas após quase 10 anos de experiência lidando só com esse tema, e criando muitas abordagens e técnicas de preparação, selecionar os elementos centrais daquilo que é de fato necessário para ser aprovado no Exame de Ordem está muito claro na minha mente.

EXISTE um padrão entre boa parte daqueles que são aprovados, e este padrão, se repetido por outros candidatos, conduzirá, ao menos, para o caminho correto.

Vamos afastar, claro, hipóteses mais raras ou improváveis, como o cara que nunca estudou na faculdade e passou de primeira, ou aquele que “deu sorte”, na visão de muitos.

Vamos trabalhar a base, os elementos centrais que de fato fazem parte do sucesso dentre os aprovados.

O que é verdadeiramente necessário para ser aprovado no Exame de Ordem:
1 – Estabelecer e sustentar a disciplina

Disciplina nada mais é do que DIZER NÃO para tudo o que for estranho ao processo de estudo.

E isso não é fácil!

Existe uma infinidade de variáveis e circunstância capazes de quebrar a disciplina ou mesmo impedir que ela seja instituída.

De toda forma, a disciplina é um processo, e como tal pode ser estabelecida com consistência, desde que o estudante tenha em mente de que ele não é um super-herói cognitivo.

Você faz o necessário para ser aprovado no Exame de Ordem

A regra, e é simples, requer que o tempo de estudo, seja ele qual for, seja monitorado. Por exemplo: por quanto tempo você consegue sentar e manter o foco completo no processo de estudo? 15 minutos? Uma hora? Registre isso e, paulatinamente, dia após dia, procure aumentar um pouco que seja o tempo de concentração.

Conheçam o www.jus21.com.br

Com o tempo, e seguindo uma evolução GRADUAL, sem estabelecer grandes pressões, o tempo vai sendo elastecido e a permanência por horas e horas nos estudos será encarada como um processo natural, sem pressões e sem distrações.

O aumento de apenas 10 minutos no tempo de estudo, por semana, já é uma grande conquista. Se um estudante só consegue ficar focado por 20 minutos no início do processo, ao final de apenas 3 meses ele pode conseguir ficar focado por 2 horas e 20 minutos.

Ainda pouco, mas muito mais do que os 20 minutos iniciais.

Dando continuidade ao processo, em mais alguns meses podemos criar uma verdadeira máquina de estudar.

É importante ter a percepção de uma coisa: trata-se de se estabelecer um processo de condicionamento, e condicionamentos ocorrem de forma PAULATINA e não de forma imediata.

O estudante tem de criar a projeção, fazê-la de forma ponderada, sem exageros, e respeitar o planejamento, isso tudo tem de ser visto como necessário para ser aprovado no Exame de Ordem. O resultado inexoravelmente virá.

2 – Adotar uma estratégia de estudos

O Blog Exame de Ordem trouxe pioneiramente para dentro do Exame o conceito de estratégia, e o fez a partir da construção de uma série de abordagens específicas para cada fase da prova.

Não que adotar estratégias de estudos seja uma novidade, mas sistematizá-la para o Exame até então o foi.

E isso é fundamental para quem está estudando.

A reinvenção da metodologia de estudo para a OAB

Mas, afinal, como adotar uma estratégia?

A estratégia, em suma, é estabelecer um foco específico em um objetivo. Um único objetivo. Migrar de alvos, trocar de metas, ficar na dúvida sobre o que fazer mina todo o processo de preparação e sabota a pretensão de ser aprovado no Exame de Ordem.

Como se preparar para OAB – XXV Exame de Ordem?

É a partir da definição do foco que o estudante implementa sua metodologia e consegue enfrentar o conteúdo específico destinado ao objetivo escolhido.

De 34 para 57 pontos na 1ª fase: o impacto da mudança de metodologia de estudo para a OAB

Um exemplo do que não fazer: o candidato acaba de passar no Exame de Ordem e tem o sonho de ser delegado de polícia. Mas, como isso pode demorar um pouco, resolve também estudar para o concurso de analista do TRF.

Eis o ponto: são conteúdo programáticos DIFERENTES e processos seletivos diferentes. O que é melhor em termos de proporcionar o resultado? Ter o foco em um só ponto ou dispersá-lo em dois objetivos diferentes?

Reflitam sobre isso.

3 – Utilizar material adequado

Estudar custa CARO!

Ponto!

Não tem conversa e não tem contra-argumentos! Estudar custa caro, em especial quando o ambiente é competitivo. Sabem quanto custa uma mensalidade na melhor faculdade de Direito particular do Brasil? R$ 5.000,00 por mês!

Caríssima! Mas, ainda assim, ela é a melhor!

Sabe quanto custam os bons livros de doutrina? Ou os bons cursos preparatórios?

Tudo muito caro.

A melhor formação tem um preço, e isso decorre da lógica do sistema capitalista: em regra, todas as coisas boas e de qualidade têm um preço superior ao da média do mercado. Tal lógica decorre de uma simples constatação: emprega-se mais tempo, conhecimento e zelo para se fazer ou construir algo bom do que os mesmos elementos para se construir algo mediano ou ruim.

Parceria Blog Exame de Ordem-Grupo GEN: 20% de desconto em livros jurídicos!

A mesma lógica vale para o seu cérebro: empregue um material bom para se preparar, e o aproveitamento será muito melhor. Faça isso com um material de qualidade inferior e o resultado seguirá a mesma lógica.

Curso Completo OAB de Teoria e Questões para o XXV Exame de Ordem!

É preciso investir em si mesmo para otimizar o desempenho. Isso é um fato!

4 – Adotar metas factíveis

A meta, o objetivo, o sonho, todos eles precisam RESPEITAR as condições pessoais de cada um.

Quer ser juiz? Sabe quanto tempo leva para se preparar adequadamente? Em que estágio de conhecimento você atualmente está? Já fez uma análise de desempenho? Já fez uma prova de juiz antes para ver se está no caminho certo?

E o necessário para ser aprovado no Exame de Ordem? Você já dimensionou? Você se enquadra nas condições? Você tem tempo para investir nisso e sua base justifica o esforço?

Você faz o necessário para ser aprovado no Exame de Ordem

Ninguém começa uma preparação estando a altura do desafio! É exatamente por isso que se inicia a preparação. Mas, mesmo para o Exame de Ordem, é preciso ter uma base mínima. Se ela não existir, a preparação como um todo é comprometida.

Isso demandaria um tempo extra de preparação, mais esforço e dedicação, para então a meta passar a ser factível.

Resumindo: o sonho tem de ser possível, ao alcance das suas possibilidades. Só assim ele poderá ser real.

5 – Acreditar no sucesso

Certamente, durante o processo de preparação, o estudante vai duvidar de si mesmo, duvidar do sonho, duvidar da capacidade de chegar lá.

Isso é normal.

Ter uma baixa nas expectativas e ficar com a moral em baixa também faz parte de todo o processo. A dúvida e a incerteza volta e meia resolvem acompanhar o examinando.

O peso da expectativa da sua aprovação na OAB que os outros criam

Tome consciência disto, compreenda como um elemento inerente aos estudos e persistam no projeto de estudos.

Saber de antemão que o espírito por vezes irá fraquejar ajuda a compreender o próprio momento em si, e ajuda a manter a fé de que ao fim tudo dará certo. Em momentos assim que um candidato mais determinado coloca uma vantagem decisiva no seu próprio projeto.

Para ser aprovado é preciso ser implacável nos estudos

E é em momentos assim que quem deseja passar na OAB estabelece o marco central de sua aprovação.

Acreditar é, mais do que tudo, saber suportar a pressão pela aprovação. E a capacidade de suportar vem da certeza de que é possível!

Estou gravemente inseguro com a OAB: como posso confiar em mim?

Acreditar é resistir!

6 – Fazer mensurações periódicas de desempenho

A quantas anda o preparação?

Ela tem sido eficiente?

Há apreensão da chamada memória profunda?

Aliás, o que é memória profunda? Trata-se da forma como uma informação, qualquer informação, é apreendida pelo cérebro. Dizemos que determinado conhecimento está na memória profunda quando, ao tentar resgatá-lo, a informação vem de forma completa e sem maiores esforços, sem a necessidade de “fazer força” para lembrar do conteúdo, e lembrá-lo correta e integralmente.

Você faz o necessário para ser aprovado no Exame de Ordem 3

Não estou falando aqui de decorar, e sim de SABER um determinado conteúdo. E decorar e saber são conceitos diferentes.

Decorar é apenas isso: repetir uma fórmula. E tem suas consequências, em especial a dificuldade de aplicar o conceito envolvido na fórmula ou mesmo utilizá-lo em um caso em concreto.

Cronograma de Estudos – XXV Exame de Ordem

Saber envolve o domínio do conteúdo, seus fundamentos e desdobramentos, permitindo que se trabalhe de forma completa no momento da necessidade de se utilizá-lo.

Tudo isso precisa ser PERIODICAMENTE evocado, relembrado, atestado, para o candidato ficar afiado para os futuros desafios. A partir da percepção da qualidade e quantidade da informação retida, o estudante pode planejar melhor e vislumbrar os pontos restantes para completar o seu processo de preparação.

Isso é uma premissa para quem está estudando e é absolutamente necessário para ser aprovado na OAB.

7 – Aceitar a eventualidade do fracasso como parte do processo de aprovação

Não se trata meramente de dizer “você pode fracassar”. Trata-se de fazer uma afirmativa direta e objetiva: você pode perfeitamente fracassar, e isso pode acontecer mais de uma vez.

O fracasso é inerente ao processo de estudo e aprovação. O único erro é achar que o fracasso tem o condão de definir algo.

Não tem!

O fracasso é meramente uma baliza, e a demonstração de que o estudante ainda está verde.

Reprovou? Compreenda as causas e estabeleça novas balizas, se necessário.

O pódio do estudante, concurseiro ou examinando é construído sobre as ruínas de algumas derrotas. O interessante é notar que você, e todas as demais pessoas, só terão olhos para o troféu que está sendo erguido. Ninguém nem vai se lembrar de olhar para baixo e ver as ruínas.

Elas ficam no passado e são tomadas pelo esquecimento.

8 – Aprender com os erros

Aprender com os erros guarda estreita correlação com administrar o fracasso.

É a autocrítica!

Estabelece-se uma estratégia, uma metodologia de estudo é adotada, um planejamento é construído mas algo dá errado.

O quê?

Cada fracasso deve ser seguido por uma espécie de “auditoria interna”, onde o estudante precisa encontrar respostas para as suas próprias falhas.

Isso é extremamente importante, faz parte do processo de aprendizagem e é necessário para ser aprovado. Mais! Faz parte do processo de EVOLUÇÃO nos estudos. A cada fracasso deve surgir um estudante mais apto, mais capaz e mais preparado para o desafio. Em algum momento, com a autocrítica, a evolução atingirá seu ápice, e o sucesso estará bem próximo de ser alcançado. Neste momento o candidato passa a estar pronto para ser aprovado no Exame de Ordem.

9 – Foco na aprendizagem, e não no objetivo

Devemos estudar para passar ou estudar para aprender?

Sem sombra de dúvida, para aprender!

Na estratégia escolhemos um objetivo, mas o objetivo não é ser aprovado, e sim saber o que se é exigido. Ser aprovado então é mera consequência, mero desdobramento de uma condição anterior, qual seja: saber o necessário para conquistar o objetivo.

O conteúdo programático é extenso e cansativo? Claro que é! Mas mesmo assim o candidato deve capaz de falar sobre ele, seus componentes e seus detalhes, dominando o máximo possível. Isso é absolutamente necessário para ser aprovado tanto no Exame de Ordem como em qualquer outro processo seletivo.

Conheçam o www.analisejuridica.com.br

Sim, isso leva tempo, passa por longa maturação, mas é quando, finalmente, se está de fato pronto.

Aliás, focar os estudos em aprender e não em ser aprovado ajuda a libertar da ANSIEDADE e da OBRIGAÇÃO de ser aprovado. O objetivo é saber, e não conquistar. Conquistar é desdobramento, e não causa. Desta forma é possível retirar grande parte da pressão sobre ele, o resultado, e a mente sofre menos durante o processo de preparação, isto quando estudar por si mesmo não se transforma em um prazer.

Neste momento, nada mais é impossível.

10 – Não existe fórmula milagrosa

Estudar, para muitos, dói.

E dói porque tem-se a impressão muitas das vezes de que a vida lá fora está sendo perdida, e a o tempo está passando mais rapidamente do que o normal.

Somos uma sociedade que quer tudo, e de preferência agora.

Neste momento surgem uma série de tentações, em especial fórmulas especiais de aprendizagem acelerada ou similares.

Eu não acredito nisso.

Aliás, sequer existe estudos ACADÊMICOS que comprovem a utilidade real de fórmulas mágicas. A neuropedagogia não se ocupa disto…

Uma verdade: estudar requer tempo, estudar requer paciência e aprender é um processo complexo, mas necessário para ser aprovado na OAB. Não existem facilidades! Se existissem elas seriam vendidas em pílulas e todo mundo estaria se beneficiando dessas “maravilhas”. Aquilo que é necessário para ser aprovado não pode ser encontrado em fórmulas mágicas. Ser aprovado no Exame de Ordem demanda um investimento de tempo razoável.

Mas não é assim que funciona.

O que vem fácil, vai fácil. Construa o seu saber de forma firme e CONSISTENTE. Só assim para ele, o conhecimento, vai ficar devidamente retido na sua cabeça.

O necessário para ser aprovado no Exame de Ordem?

A resposta é simples: ser sério com a preparação, sério com o compromisso de ser aprovados e não cair na ilusão de achar que o mundo tem de atender aos seus desejos. Os objetivos e sonhos não são entregues pela vida: eles têm de ser conquistados. E toda conquista é precedida por uma LUTA.

Ser aprovado no Exame de Ordem está ao alcance de quase todos, apesar de apenas poucos passarem. É interessante ter essa percepção, e mais interessante ainda é, a partir dela, tomar ATITUDES para transformar o sonho em realidade.

Planeje, lute e seja finalmente aprovado no Exame de Ordem!

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Newsletter