teste
Como se Preparar para a Prova

Acelerador de vídeos para aulas online: compensa usar?

Acelerador de vídeos

Ontem o Jus21 lançou para seus alunos o sistema acelerador de vídeos para aulas online. Ou seja, quem quiser ver a aula um pouco mais rápido poderá fazê-lo de agora em diante, escolhendo ver a aula 1.25, 1.5 ou 2 vezes mais rapidamente. E quem não quiser acelerar basta acompanhar tudo normalmente.

www.jus21.com.br

Essa inovação é resultado do pedido de vários alunos, que preferem essa facilidade para agilizar o acompanhamento do curso e, especialmente, para facilitar as revisões. O acelerador de vídeos facilitaria a vida de quem tem pouco tempo para estudar.

Dessa inovação vem uma pergunta significativa: usar acelerador de vídeos é bom? Não traria nenhum impacto na cognição do conteúdo?

Diferentemente de tudo o que escrevo sobre o Exame de Ordem, quanto a isto eu não tenho uma experiência pessoal: nunca vi uma aula acelerada.

Curso de Teoria e Questões para o XXV Exame de Ordem

Com a aceleração a 1.25, a absorção do conteúdo não me parece ser prejudicada. Já com o vídeo acelerado em 2x a impressão que tenho é que o aluno precisa de muita concentração para ver a aula.

Todo sistema ou método de ensino é avaliado pelo seu resultado e não pela sua forma. O resultado é constatado sempre posteriormente, quando o aluno coloca em teste o que estudou. Se o desempenho for bom, o método é eficaz. Do contrário, o método precisa ser revisto.

A grande preocupação não ocorre no momento em que a aula é vista, mas sim depois. A pergunta chave é: a aula acelerada fica na memória? Mais ainda: a aula acelerada é assimilada na sua integralidade?

Obviamente a resposta varia de estudante para estudante. Ninguém é igual e as opiniões quanto a aos resultados do sistema de aceleração de vídeos certamente serão diferentes para uma multiplicidade de estudantes.

Quem opta por acelerar PRECISA, sem a menor sombra de dúvida, avaliar posteriormente se o conteúdo estudado foi mesmo assimilado. A facilidade em ver mais rápido só faz sentido se o conteúdo for efetivamente aprendido. Do contrário, representa uma grande perda de tempo.

Aqui um ponto importante: não podemos ser radicais em retirar conclusões. O importante, se houver o interesse, é avaliar se essa funcionalidade é efetivamente vantajosa, e isso deve ser feito com o máximo de honestidade pessoal possível. Se for, não vejo porque não usar. E se não for, claro, a funcionalidade deve ser ignorada.

Como eu disse, isso depende de cada um.

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Newsletter